Connect with us

Artigos

TV paga começa a perder mercado para Netflix e serviços de streaming

Published

on

netflix

A TV paga está perdendo clientes nos últimos meses, e o motivo não é apenas o agravamento da situação econômica no país – negócios baseados em assinatura vem ganhando cada vez mais espaço, como é o caso do Netflix. Chamada de Uber da televisão, os serviços streaming da Netflix vem preocupando não apenas a TV paga, mas a televisão aberta.

Como se não bastasse mudar a configuração do mercado de TV por assinatura, a Netflix e a Amazon, que também disponibiliza filmes em streaming, pretendem apostar forte na área de produção de conteúdo. Ou seja, elas poderão bancar seus próprios filmes e decidir se eles estrearão primeiramente na rede virtual ou nos cinemas – o que interrompe um ciclo que sempre teve como ponto de partida as exibições nas salas cinematográficas.

Modelos de assinaturas em ascensão

Segundo a Agência Nacional de Comunicação (Anatel), em 2015, as assinaturas de TV recuaram após uma década de crescimento. Em outubro de 2015, o Brasil fechou 108 mil clientes de TV por assinatura em relação a setembro, totalizando 19,4 milhões de usuários, uma queda de 3%. Já em comparação a outubro de 2014, a redução foi bem mais drástica, a queda do número de acessos foi de 255,7 mil.

Embora alguns canais pagos já disponibilizem versões em streaming, como HBO Go e o Now, as facilidades de navegabilidade não se comparam aquelas disponibilizadas pela Netflix, que também não proíbe o empréstimo de senhas de acesso.

Segundo a Anatel, o grupo Claro, da mexicana América Móvil, representa uma fatia do mercado de 52%, permanecendo na liderança. Contudo, apesar dos seus 10,08 milhões de acessos, a empresa teve uma queda de 45,8 mil assinaturas na comparação mensal realizada. Em 2014, o grupo tinha 10,42 milhões de usuários de TV paga, segundo dados da Agência.

Em segundo lugar, com uma participação de 28,25% e 5,47 milhões de acessos, a operadora de TV via satélite Sky teve uma queda de 58,2 mil na mesma base de comparação do grupo claro. Em outubro de 2014, a operadora tinha 5,65 milhões de assinantes.

E em terceiro lugar, com 9,5% do mercado, ficou a Telefônica Brasil, com 1,83 milhão de assinaturas. Contudo, a Agência levantou uma alta de pouco mais de 1 mil acessos em relação a setembro. A Oi aparece logo em seguida, representando 6,02% do mercado e com 1,2 milhão de acessos, apresentando uma redução de 1,8 mil assinaturas, mas acima dos número de outubro do ano passado, quando tinha 1,12 milhão de assinaturas.

Aqui vale destacar que a TV digital via satélite (DTH) foi a que mais perdeu acessos entre setembro e outubro de 2015. Foram 146,6 mil clientes a menos em outubro, a 11,44 milhões. Segundo dados da Anatel, a tecnologia perdeu 726,3 mil acessos.

Sucesso além do preço

O preço não é o único diferencial da Netflix. O conteúdo é o que mais chama a atenção. Séries como ‘House of Cards’ levam milhares de usuários a pagar qualquer valor para assistir.

Para as operadoras de TV paga se manterem no páreo é preciso criar formas interessantes para o conteúdo chegar até o usuário.

No relatório de resultados de 2015, divulgado pela Netflix, a empresa ultrapassou 75 milhões de assinantes. Outras novidades também estão por vir este ano, segundo divulgado pelo Reuters Institute, que prevê a estreia do streaming da Apple, ‘finalmente’, e o aumento nos serviços via internet das operadoras, como Verizon.

E você, acha que a TV paga está com os dias contados diante dos novos negócios por assinatura? Que tal compartilhar conosco sua opinião!

Artigos

Serviços de streaming já são maiores que TV a cabo

Published

on

streaming tv a cabo assinaturas

Olha que interessante.

A Motion Picture Association of America (MPAA), publicou que o mercado mundial de streaming, abrangendo cinema e home vídeo, chegou ao número record de receita: U$97 bilhões de receita em 2018. Já é maior que o mercado de TV a Cabo.

Para se ter uma ideia, no mundo, existem 613 milhões de assinaturas ativas. Já os planos de TV à cabo estão entre 550 milhões. Marco histórico para o mercado de assinaturas.

Continue Reading

Artigos

A economia da recorrência chegou no Youtube

Published

on

Economia da Recorrência chega no Youtube

Neal Mohan, CPO do Youtube anunciou na VidCon 2018 que a plataforma está apostando alto na economia da recorrência. Depois de lançar o YoutubeRed, a empresa planeja permitir que os Youtubers cobrem uma mensalidade dos inscritos nos canais.

Boa parte da aposta é por conta do lançamento do IGTV, serviço de streaming do Instagram que permite vídeos de até 1 hora. E para concorrer também com outras plataformas, como Netflix, já que pretende realizar a produção de conteúdos exclusivos para os assinantes, contando com a ajuda dos Youtubers, que nos últimos tempos vinham reclamando muito sobre a redução de alcance dos vídeos e da monetização.

Mas como vai funcionar a assinatura do Youtube?

O CPO explicou que os canais que possuírem mais de 1.000 inscritos vão poder cobrar uma mensalidade de US$ 4,99 em troca de conteúdo exclusivo. Alguns canais escolhidos pelo próprio Youtube já vinham testando o modelo de negócios e triplicaram o faturamento desde janeiro.

Você deve estar se perguntando como o Youtube vai faturar com a economia da recorrência. Bom, a empresa vai terá um take rate de 30%, mas também se comprometeu a bancar todo custo de taxas que são cobradas por conta do pagamento recorrente.

São os grandes enxergando o potencial da Economia da Recorrência. Quer saber como esse modelo de negócios transformou empresas como Netflix, Slack e Smartfit, veja o estudo que fizemos clicando aqui.

Continue Reading

Artigos

Inadimplência: 6 regras de ouro para a reduzir este monstro

Published

on

inadimplencia alta

A inadimplência tem um efeito cascata na economia do país, pois, uma vez que o consumidor final tem dificuldades para pagar as empresas, essas também passam a precisar de mais capital de giro e melhor fluxo de caixa para continuarem operando e pagando seus fornecedores. Logo, o fato de o Brasil ter atualmente mais de 60 milhões de pessoas com o Cadastro de Pessoa Física (CPF) negativados junto a instituições como o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou no SERASA, inadimplência vira um fator preocupante para sua empresa independentemente de seu segmento e setor de atuação.

Recuperação de inadimplência é uma ciência moderna.

Para ajudar a superar, prevenir e reduzir a inadimplência, indicamos 6 boas práticas que podem ser consideradas regras de ouro para a redução da inadimplência:

1. Comunicação efetiva antes do vencimento

Há um passo antes da primeira regra. Se sua empresa vai vender a prazo ou parcelar uma compra, ela está ciente de que o cliente não quer comprometer seu fluxo de caixa pagando uma conta que pode ser parcelada ou que não dispõe do valor total do produto ou serviço que está adquirindo. Por isso, é importante oferecer descontos, brindes ou bônus para futuras compras caso a atual seja paga à vista. Isso já é uma forma de prevenir e reduzir a inadimplência. Os grandes e-commerces brasileiros já perceberam que essa estratégia ajuda na redução da inadimplência e das reclamações, uma vez que ao pagar o total da conta, os clientes se sentem menos inclinados a devolver ou reclamar dos produtos.

Inadimplência é um monstro para muitas empresas.

inadimplencia alta
A Casa Monstro da Disney. Não deixe sua empresa se tornar uma.

No entanto, caso sua empresa ofereça a opção de parcelamento, é importante adotar as 4 ações listadas abaixo:

  1. Antes de conceder o parcelamento, deixe claro qual é a data limite para os vencimentos;
  2. Destaque que multas e juros serão cobrados em caso de atrasos e que estes são inegociáveis;
  3. Entregue as cobranças sempre com antecedência. Essa ação é importante, pois algumas lojas acreditam que o envio de boletos ou faturas para o cliente na semana do pagamento da dívida o ajuda a se recordar. Essa é uma estratégia de cobrança sutil. Na verdade, o efeito é contrário, pois as pessoas acabam se esquecendo de dívidas, principalmente das de médio e longo prazos e não se organizam para pagá-las no vencimento. Antecipar o envio da cobrança é uma maneira de recordar o cliente de que parte de seus recebimentos já estão comprometidos e de que ele não pode aumentar suas dívidas.
  4. Envie lembretes por e-mail ou SMS alertando sobre a data de vencimento e os benefícios para receber pagamento online em dia. Nos primeiros dias de atraso, também vale enviar esses e-mails e SMS com recordações da situação. Eles funcionam como meras recordações, ao passo que o envio do boleto ou da fatura ajuda no planejamento financeiro de seu cliente.

2. Identifique cobranças “não recebidas”

É essencial ter um sistema que automatize o faturamento, o controle de recebimentos e a gestão de contratos ou assinaturas. Para isso, faça uma análise de indicadores relacionados à redução de inadimplência e permita uma tomada de ação rápida por parte de sua equipe de cobrança. Essa é a forma mais indicada para reduzir sistematicamente a taxa de clientes inadimplentes de sua empresa. Se isso não for feito, um tempo precioso será gasto enquanto seus funcionários identificam e conciliam todos os recebimentos manualmente. Além de causar muitos equívocos e falhas, tal medida acabaria gerando um gasto desnecessário em horas que poderiam ser utilizadas na cobrança efetiva dos clientes.

3. Facilite o recebimento para reduzir a inadimplência

Dar opções diversas para o recebimento do boleto ou da fatura é a melhor forma de fazer com que o pagamento seja realizado. Você pode, por exemplo, oferecer uma espécie de carnê com todos os boletos e prestações que a pessoa deve pagar; pode enviar, com 30 dias de antecedência ao pagamento, o boleto da prestação que irá vencer via e-mail; o cliente pode receber o boleto impresso via correios com 20 dias de antecedência ao pagamento; e, dois ou três dias antes do prazo final, ainda pode receber o código de barras via SMS. Dessa forma, sua empresa terá a certeza de que o consumidor teve tempo hábil para se planejar e não encontrou nenhuma dificuldade para pagar aquela prestação ou mensalidade.

4. Regeração de boletos automática

Além dos avisos de que o cliente já está com a situação de inadimplência, sua empresa pode enviar um e-mail explicando o passo a passo de como ele pode gerar novamente o boleto (já com os juros e multas calculados) para poder efetuar o pagamento via Internet Banking, caixas eletrônicos ou representantes bancários. Indique ao consumidor que isso evita que ele efetue o pagamento presencialmente “na boca do caixa” para que o atendente calcule a multa e os juros. O resultado é a economia de tempo para o cliente e a redução da inadimplência para a sua empresa.

5. Tenha uma régua de comunicação eficiente

Estabelecer uma frequência de comunicações e avisos sobre a situação de inadimplência do cliente é uma das maneiras mais eficientes de reduzi-la. Por isso, crie modelos de e-mails, SMS e, em último caso, até de ligações telefônicas para avisar o cliente sobre os problemas que essa situação pode ocasionar, como multa, juros, suspensão do serviço, inclusão no cadastro de proteção ao crédito, protesto, entre outras formas previstas no contrato de serviços.

Lembre-se: de maneira alguma as mensagens ou métodos de cobrança podem expor o cliente a situações constrangedoras, pois isso feriria o artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor e sua empresa poderia ser acionada na justiça.

6. Suspenda o serviço

Ao entrar em situação de inadimplência, muitos consumidores e empresas criam listas classificando e categorizando serviços que são indispensáveis e fornecedores que são mais fáceis para se negociar, sendo priorizados aqueles que são mais essenciais e justos na negociação. Por isso, se a comunicação com prazo final para pagamento não surtir efeito, suspenda o serviço até que a parcela ou a dívida seja paga.

É importante perceber que nem sempre a isenção de juros ou manutenção do serviço fidelizará seu cliente, pois ele pode atribuir essa falta de cobrança ou de suspensão à desorganização, bondade ou não essencialidade de seus serviços e produtos, o que levaria a postergações sucessivas em futuros pagamentos, busca por outros fornecedores e elevação da taxa de inadimplência da sua empresa.

Você utiliza alguma regra adicional visando à redução da inadimplência? Comente conosco sua experiência e curta nossa página no Facebook para se manter informado com dicas como essas!

Se você ainda não tem uma ferramenta para te ajudar em todos esses processos, conte com a Vindi.

inadimplência
Continue Reading

Avalie sua empresa

cobranca recorrente

Trending

Direitos Reservados @Cobrança Recorrente - Vindi