Connect with us

Artigos

O que é subadquirente? Tudo sobre subadquirência!

Published

on

Online Payment

Se você tem uma empresa ou uma loja virtual, ou ao menos, buscou por informações de pagamentos para abrir um negócio, com certeza você já deve ter ouvido falar em subadquirente.

Esse termo, acompanhado dos nomes “adquirente” e “gateway de pagamento”, por exemplo, é muito usado quando o assunto é transação financeira. Por trás de uma compra, muitas coisas acontecem até que ela seja aprovada e, é preciso compreender com detalhes como isso funciona. 

Pensando nisso, vamos explicar com detalhes o que é subadquirente, pois ela pode ser a solução para quem não tem acesso direto às credenciadoras (adquirentes) para capturar e processar transações. Vamos lá!

O que é subadquirente?

Subadquirentes são intermediadoras de pagamentos e focam o atendimento à lojas de menor porte e aos negócios online. Elas são habilitadas por credenciadoras (Cielo, RedeCard, GetNet, Elavon, Stone etc) para realizar transações com cartões em nome dos estabelecimentos, ou seja, são intermediários. 

Dessa forma, os comerciantes podem oferecer cartões como meio de pagamento. Mesmo assim, muita gente ainda confunde gateway com subadquirentes.

As subadquirentes fazem uma conexão com as adquirentes, entregando para os lojistas uma solução completa com serviços de antifraude. 

Além da sua integração ser simples, pois é possível que a loja aceite pagamentos online com apenas uma integração, seu custo de implementação é acessível e não tem muita burocracia.

As subadquirentes e adquirentes funcionam por meio de sistemas específicos que fazem integração com os bancos e as bandeiras. 

As adquirentes, também chamadas de credenciadoras, são responsáveis pelo processamento das transações de cartão de crédito e débito. Elas fazem a comunicação entre a loja e o banco para checar dados e validar compras. Alguns exemplos são: Cielo, RedeCard, GetNet e Stone. 

Como funciona uma subadquirente?

Agora que você já sabe o que é subadquirente, entenda como funciona a transmissão dos dados da transação até à adquirente para que o pagamento seja efetuado com sucesso. Em resumo, veja como funciona uma subadquirente:

O cliente realiza a compra em uma loja;
O lojista faz a cobrança através da sua subadquirente;
A subadquirente “avisa” a adquirente que, em seguida, verifica com o banco as informações necessárias para concluir a compra.

Uma das vantagens da subadquirente é que, em algumas opções disponíveis no mercado, o cliente, no momento de realizar o pagamento, não é levado para uma página fora do site. Fazer com que o cliente preencha os dados pessoais e do cartão em uma nova página, pode deixa-lo inseguro. Isso, pode fazer com que ele desista da compra por estar em um site diferente do que ele estava navegando. 

As subadquirentes podem oferecer que o processo de pagamento seja feito na própria loja do site, o chamado checkout transparente. Confira um post completo para você entender com detalhes o que é e como funciona o checkout transparente.

Qual a diferença entre Gateway e Subadquirente?

Muitas vezes, os gateways são confundidos com os intermediadores de pagamentos (subadquirentes), mas são sistemas totalmente diferentes. O papel do gateway é processar o pagamento na hora do checkout.

Os gateways surgiram para reduzir o tempo e os custos do desenvolvimento e de operação das transações financeiras. Essas plataformas interligam diretamente com as adquirentes através de um conjunto de APIs, possibilitando a comunicação da loja virtual com o gateway.

Como funciona o gateway de pagamento

Os gateways de pagamento funcionam como terminais de cartão de crédito, já que colhem e codificam dados inseridos pelo cliente para depois enviar as informações para a credenciadora. 

Em resumo, eles são responsáveis por conectar o e-commerce aos meios de pagamento. Fazendo uma analogia, eles podem ser considerados a “maquininha” de cartão das lojas físicas. O gateway de pagamento funciona da seguinte forma:

O cliente coloca os dados do cartão na plataforma online;
O gateway de pagamento recebe esses dados e transmite para a adquirente;
A adquirente se comunica com a bandeira;
A bandeira “conversa” com os bancos emissores para analisar o saldo e se há limite disponível para realizar a compra. 

A vantagem dos gateways é a permissão para pagamentos de cartões internacionais ou de fora do Brasil e transparência total. Nesse caso, o usuário não é redimensionado para outra janela quando compra na loja virtual.

Quais as vantagens de uma subadquirente?

O que é subadquirente? Uma facilitadora! O serviço em background tem o mesmo princípio do que o gateway. Porém, desonera o lojista da gestão de risco e complexidade. Entretanto, o custo desse sistema é alto. 

Sistemas antifraude, conciliação bancária e integração com diversas adquirentes são alguns exemplos dos benefícios que uma subadquirente traz.

A maior vantagem de uma subadquirente é que na maioria delas, oferece garantia contra fraudes. Se você é lojista, certamente já teve problemas com chargeback e outros tipos de fraude, que assombram qualquer dono de e-commerce. 

Para acabar com os prejuízos provocados por essas fraudes, que afetam intensamente pequenos varejistas que não têm sistemas antifraude, as subadquirentes garantem o pagamento de qualquer pedido, caso ocorra uma fraude. 

No caso dos antifraudes integrados com gateways, o valor perdido é arcado pelo próprio lojista. Ou seja, além de oferecer pagamento parcelado e em diversas bandeiras para seus clientes, você estará garantido a segurança e saúde do seu negócio. Porém, o índice de aprovação de uma subadquirente é extremamente menor que um gateway.

Como escolher uma subadquirente?

É preciso saber que a maioria das subadquirentes cobra taxas sobre o valor faturado, que giram em torno de 6% a 7%, mudando os valores para débito e boleto. 

As principais subadquirentes são: 

  • Moip; 
  • Pagseguro; 
  • Bicash;
  • Mercado pago;
  • F2B;
  • PayPal;
  • Payu;
  • Akatus. 

O PagSeguro é líder no mercado brasileiro e fornece soluções de pagamentos para o comércio eletrônico e também para estabelecimentos comerciais físicos.

Para escolher uma subadquirente, é importante que você se atente a alguns pontos, como as melhores taxas para o seu negócio, agilidade de implementação, facilidade de integração e sistema antifraude para segurança nas transações. 

E agora, qual escolher: gateway ou subadquirente?

Cada modelo tem suas características, que devem ser analisadas de acordo com suas necessidades e modelo de negócio

A Vindi, plataforma de pagamentos online, possui um gateway integrado à todas adquirentes do Brasil. Além disso, garante maior segurança nas transações com a certificação PCI Compliance. Entre em contato com a equipe para saber mais funcionalidades da solução. É só você clicar aqui.

Black & White

Artigos

Estratégias de Cobrança: 10 dicas para melhorar sua cobrança!

Published

on

estrategias de cobranca

Cobrar não é uma tarefa confortável para a maioria das empresas, já que um cliente inadimplente geralmente está insatisfeito ou com problemas financeiros. Por isso, as estratégias de cobrança podem te ajudar a ter um processo muito mais eficiente!

Neste artigo, falaremos sobre as 10 maiores dicas para cobrar melhor e conseguir driblar a inadimplência dos seus clientes! Continue a leitura!!

1. Priorize a boa comunicação 

Em primeiro lugar, precisamos falar da comunicação, porque é exatamente aqui que causamos fricções desnecessárias com um cliente que tem uma fatura em aberto.

Dessa forma, alinhar o tom de voz, falar com respeito, cordialidade e educação são pontos essenciais de uma cobrança, mesmo que ela não seja feita por ligação.

Além disso, se você só cobra seus clientes nos ambientes digitais, essa comunicação precisa ser ainda mais cuidadosa, já que ela é passível da interpretação de quem está lendo.

Portanto, lembre-se de que uma boa comunicação, pensando sempre em continuar aquele relacionamento com o cliente, é essencial para quitar uma dívida.

2. Confira os débitos do cliente antes de cobrar

Poucas coisas são tão constrangedoras do que cobrar um cliente indevidamente, e isso pode até mesmo indicar uma quebra de contrato e transformá-lo em um detrator da marca.

Da mesma forma, é necessário conhecer seu consumidor além dos débitos. Veja o comportamento de consumo, as variações e sazonalidades, se ele já fica inadimplente com frequência e tudo o que puder ajudar no momento da cobrança.

Assertividade é outro ponto de extrema necessidade nas nossas estratégias de cobrança, e seu time financeiro precisa estar bem alinhado nesse sentido.

3. Crie uma régua de cobrança

Uma régua de cobrança é um conjunto de comunicações, que podem começar mesmo antes do cliente ter um débito com a empresa.

Neste caso, ele receberá lembretes de que a data da fatura está próxima a vencer, convidando a rever se os dados do cartão estão atualizados ou simplesmente enviando o boleto.

Com essa régua de cobrança, você elimina as chances de inadimplência por esquecimento do cliente, o que também é bem comum para que não usa a cobrança recorrente.

4. Escolha os canais certos para cobrar 

Já dissemos aqui que conhecer seus clientes é fundamental, não é mesmo? E, quando isso acontece, pode ser que você perceba que aquele cliente não gosta de receber ligações. 

Ou, ainda, que não abre a caixa de e-mails com frequência e não veria um e-mail de cobrança. Escolher os canais certos, como a cobrança por SMS, e-mail e notificações Push é fundamental para dar visibilidade dessa cobrança.

5. Ofereça vantagens para quitação da dívida

Se o seu cliente não quitou aquela dívida por estar com problemas financeiros, você precisa de uma carta na manga para conseguir que o pagamento seja feito.

Por isso, algumas credoras, lojas do varejo e correlacionadas costumam oferecer descontos e outras vantagens para que a dívida seja quitada. 

Isso é bom para o relacionamento, já que aquele cliente não ficará com o nome sujo, e é bom para a empresa, que voltará a ter aquele dinheiro no fluxo de caixa. 

Mas, atenção! É preciso avaliar a sua saúde financeira antes de fazer isso, e considerar as margens de negociação.

6. Ofereça várias formas de pagamento

Mesmo que o seu cliente tenha escolhido fazer o pagamento por cartão de crédito, por exemplo, é bom oferecer a ele outra forma de pagamento online, caso ele tenha problemas com o limite.

Além disso, disponibilizar um leque para quem consome seus produtos e serviços é indispensável para quem quer alcançar outros tipos de público.

7. Não deixe para a última hora

Cobrar uma dívida somente depois que ela vende é um grande erro que você pode cometer. E, isso pode estar acontecendo porque você é pego de surpresa quando um cliente não atualiza uma fatura.

Por isso, a régua de cobrança é ainda mais fundamental. Você ganha tempo, visibilidade e possibilidades de acordo com quem ficar com faturas a vencer.

8. Elimine bugs operacionais 

Problemas na página de checkout de pagamento são comuns. Por exemplo, temos a possibilidade do cliente inserir dados errados ou desatualizados do cartão e aquela cobrança ficar em aberto, sem ser vista por nenhuma das partes.

Dessa forma, eliminar esses obstáculos operacionais dentro do seu processo de cobrança é outra das estratégias de cobrança que precisam ser colocadas em prática.

9. Ouça o cliente ativamente 

Ouvir os motivos do seu cliente pode estreitar ainda mais os laços e o relacionamento entre as duas partes.

Por isso, não pressione ou exponha o caso dele de forma nenhuma. O melhor que você pode fazer é ouvir e, mais do que isso, praticar a escuta ativa e se colocar no lugar dele.

10. Automatize a sua gestão de cobrança

Se você leu este artigo até aqui e precisa de uma solução que consiga construir uma régua de cobrança eficiente e totalmente automatizada, a Vindi é a plataforma ideal para você.

Além dessa possibilidade e de uma gestão completa do seu faturamento, você tem acesso a outras funcionalidades que deixam as suas estratégias de cobrança mais eficientes:

  • Com o Renova Vindi, os dados atualizados dos seus clientes são inseridos automaticamente. Se ele trocar de cartão, a cobrança é feita mesmo assim e com os dados certos;
  • Na Retentativa Simples, são feitas tentativas dentro da régua de cobrança, caso a primeira não dê certo;
  • E a Transação de Verificação, que te ajuda a confirmar os dados do cartão no ato da contratação.

 

Da mesma forma, você pode cobrar por SMS, por e-mail e até enviar um link de pagamento pelas redes sociais para quitar faturas em aberto.

Portanto, se você gostou das nossas estratégias de cobrança e quer conhecer a nossa plataforma, solicite agora mesmo uma demonstração gratuita clicando no banner abaixo!

banner blog demonstracao plataforma vindi 02

 

Continue Reading

Artigos

Cobrança Online: 5 dicas sobre como fazer!

Published

on

cobranca online

As compras online estão cada vez mais populares para o consumidor, e a cobrança online é um dos pontos de maior atenção para quem tem uma empresa no segmento e-commerce.

Dessa forma, neste artigo falaremos sobre as maiores dicas sobre como fazer essa gestão de cobranças de forma eficiente, segura e com o máximo de conforto possível.

Por que optar pelas cobranças online? 

As cobranças online são uma excelente relação custo-benefício para negócios que não querem fronteiras e desejam expansão acelerada a médio e longo prazo. 

Além disso, o e-commerce movimenta um mercado que não para de crescer no Brasil: só em 2020 os números dobraram, segundo dados da E-commerce Brasil.

Esse é um dos segmentos mais resilientes, mesmo em tempos de crise como a que vivemos com a COVID-19. No acumulado do ano, a variação positiva do e-commerce foi de 66,62%.

Ainda no acumulado, a configuração das regiões brasileiras foi:

  • Nordeste (94,59%)
  • Norte (66,96%)
  • Sudeste (65,24%)
  • Centro-Oeste (54,78%)
  • Sul (49,50%)

Portanto, cobrar online, mesmo que você tenha um negócio híbrido (presencial e virtual), é fundamental para que o seu negócio cresça com escalabilidade.

Como fazer cobranças online? 

Mesmo que seja muito necessária, uma cobrança online precisa de alguns cuidados e, se você tem um site ou está pensando em montar um, precisa se atentar às dicas a seguir:

Escolha uma plataforma e-commerce adequada 

A plataforma e-commerce ideal precisa reunir as integrações necessárias para que todas as pontas do seu site funcionem com segurança.

Por isso, invista em uma opção que tenha um design atraente, com configurações personalizáveis e o máximo de interações. 

Você vai precisar de um parceiro que consiga integrar o sistema antifraude e a plataforma de gestão de recebíveis, que falaremos nas próximas dicas, por exemplo.

Ofereça várias formas de pagamento 

Oferecer várias formas de pagamento online é o próximo passo para garantir o máximo de poder de compra para seu cliente. 

Quanto mais opções você disponibiliza, mais chances ele tem de efetuar a venda, considerando também que um checkout completo passa credibilidade ao consumidor.

Dessa forma, tenha em mente que, no mínimo, o boleto bancário e o cartão de crédito precisam fazer parte da sua página de pagamentos.

Tenha uma página de checkout transparente

A página de checkout de pagamento precisa ser segura e transparente. Isso porque, todas as vezes em que um cliente é redirecionado para que o pagamento seja feito em outro site, as chances de abandono de carrinho são maiores.

Além disso, é fundamental que você só peça ao cliente informações pessoais extremamente necessárias, como endereço, dados bancários e CPF. Quanto mais campos seu cliente precisar preencher, menos chances você tem de vender.

Contrate um serviço antifraude

Segurança nos ambientes digitais é outra dica que não pode ser deixada de lado, já que, no Brasil, vemos uma tentativa de fraude a cada nove segundos.

Dessa forma, se você ainda conhece pouco sobre o assunto, clique aqui e faça o download agora mesmo de um dos e-books mais completos do mercado sobre antifraude!

Gerencie suas cobranças com uma plataforma especialista em pagamentos

Para uma cobrança online, ter um gerenciamento completo e que automatize seu processo de pagamentos é a última e principal dica.

Além disso, é com essa plataforma que você terá acesso a tudo o que você precisa, em um só lugar. 

Dessa forma, com a plataforma da Vindi, por exemplo, você consegue:

  • Fazer emissão de boletos bancários com agilidade e segurança;
  • Cadastro de clientes com análise de histórico;
  • Relatórios em tempo real com indicadores essenciais para análise financeira;
  • Cobrança automática de vendas avulsas, parceladas e recorrentes;
  • Atribuição de planos e mensalidades para quem trabalha com cobranças recorrentes;
  • Checkout transparente e totalmente personalizável;
  • Integração com plataformas e-commerce e sistemas antifraude;

E muito mais!

Portanto, se você gostou deste artigo sobre cobrança online, clique no banner abaixo e conheça agora as soluções da Vindi para o seu negócio digital!

banner blog demonstracao plataforma vindi 02

 

Continue Reading

Artigos

Régua de Cobrança: o que é e como montar?

Published

on

ilustração de uma régua de cobrança

Ter uma régua de cobrança é indispensável para te ajudar a reduzir as taxas de inadimplência do seu negócio e automatizar esse processo com menos fricção com seus clientes.

Além disso, essa ferramenta de Gestão Financeira separa as etapas necessárias, para que seu time financeiro consiga cobrar com mais efetividade!

Portanto, neste artigo você saberá melhor o que significa régua de cobrança, se a sua empresa precisa e como montar uma para o seu negócio!

O que é régua de cobrança

Uma régua de cobrança é definida pelas etapas de contato com clientes inadimplentes ou que estão perto de ficarem inadimplentes com a sua empresa.

Além disso, também é possível começar uma régua de cobrança em momentos anteriores a esses, como se fosse um lembrete de pagamento. 

No entanto, é essencial que a comunicação e o tom de voz, neste caso, precisam de muita atenção, já que não pode passar a ideia de cobrança.

Uma régua de cobrança te ajuda a ter mais controle da sua gestão de pagamentos, além de aumentar a visibilidade da sua receita nos meses seguintes.

Quando você sabe quais faturas estão abertas, próximas do vencimento e inadimplentes, é muito mais fácil tomar uma decisão ou pensar em uma estratégia. 

Por isso, se até hoje você só cobrava seus clientes com uma ligação depois que via sua conta no vermelho, é hora de melhorar esse processo de cobrança!

Quais empresas precisam usar uma régua de cobrança

Em primeiro lugar, precisamos destacar que qualquer empresa sofre com a inadimplência e, portanto, toda empresa precisa ter uma régua de cobrança alinhada com o modelo de negócio.

Além disso, também temos as empresas que dependem de uma maior previsibilidade de receita, que são as recorrentes.

Dessa forma, se você tem um clube de assinaturas, um SaaS ou qualquer negócio digital que faça cobranças recorrentes, ter uma régua de cobrança é indispensável.

Como montar uma régua de cobrança

Agora que já falamos da importância da régua de cobrança para o seu negócio, existem algumas dicas essenciais para montar um processo mais eficiente:

Mapeie as formas de pagamento oferecidas

Se você oferece várias formas de pagamento na sua empresa, será preciso criar uma régua de cobrança para cada modalidade.

Isso porque a comunicação para clientes que pagam com cartão de crédito precisa ser diferente da comunicação para quem escolhe o boleto bancário.

No primeiro caso, provavelmente você terá que adicionar mensagens de erro no cadastro do cartão e nos dados do cliente, por exemplo.

Por isso, esse mapeamento é o primeiro passo para que você consiga administrar os contatos, as respostas e os pagamentos efetuados.

Escolha os canais de cobrança 

Depois de mapear as formas de pagamento, é muito importante entender o seu Perfil de Cliente Ideal (ICP) para escolher os canais de cobrança corretos.

Seus clientes abrem e-mails? Ou preferem receber SMS? Como vocês costumam se comunicar? Esses canais facilitam muito o recebimento da cobrança, já que um cliente pode alegar que não recebeu um e-mail com a fatura, por exemplo.

Defina os melhores momentos

Com canais e réguas de cobrança montadas, é hora de escolher os momentos para cobrar seu cliente.

Vamos usar o exemplo do boleto bancário. Neste caso, os melhores momentos para usar a régua de cobrança são:

  • Enviar um e-mail assim que a venda for efetuada, com o boleto anexado e o vencimento na mensagem;
  • Um lembrete de vencimento (que pode ser por SMS) um ou dois dias antes que o boleto vença;
  • Enviar uma cobrança amigável caso o boleto não seja liquidado;
  • Depois, um alerta de pagamento pendente com uma semana de atraso;
  • Por último, uma notificação de atraso caso o boleto não seja pago.

Além disso, também precisamos destacar que os detalhes dessa régua de cobrança precisam estar alinhados com o seu modelo de negócio e com o contrato estabelecido com o cliente.

Se vocês negociaram a suspensão do serviço com uma semana de atraso do pagamento, ela precisa ser notificada com antecedência e entrar no fluxo da régua de cobrança, por exemplo.

Automatize seu processo de cobrança

Se você chegou até aqui, parece que é um grande desafio montar essa régua de cobrança, ainda mais se você oferece várias formas de pagamento aos seus clientes.

No entanto, é possível simplificar muito esse processo, com a ajuda de um parceiro especialista em Gestão Financeira do seu negócio!

Com uma plataforma de gestão de cobranças, você não precisa se preocupar com a emissão manual de boletos. 

Além disso, é possível criar uma régua de cobrança totalmente automatizada, disparando os alertas aos seus clientes nas datas que você quiser.

E isso só é possível com uma plataforma completa e que consiga oferecer uma solução ideal para cuidar dessa fase tão sensível do seu negócio!

Portanto, se você gostou deste artigo sobre régua de cobrança e quer conhecer a plataforma da Vindi, que é a mais completa do mercado para a sua empresa, clique no banner abaixo e fale agora com um especialista!

banner blog institucional vindi 02 1

 

Continue Reading

Conheça a Vindi

cobranca recorrente

cobrança reccorente

Trending