Connect with us

Artigos

Erros na implantação de ERP: fique atento aos principais!

Published

on

erros na implantação de ERP

Você sabe quais são os maiores erros na implantação de ERP dentro das empresas?

A tecnologia chegou para facilitar nossas vidas. A comunicação entre pessoas se tornou mais rápida e simples. O ato de se transportar de um lugar para outro ganhou muito mais comodidade.

Do ponto de vista empresarial, a tecnologia também transformou seus processos internos. Tarefas que precisavam de toneladas de papéis para serem executadas hoje podem ser feitas com modernas ferramentas e com apenas um clique.

Dessa forma, nesse universo, implementar um ERP passou a ser uma alternativa essencial para os negócios prosperarem. Trata-se de uma ferramenta que reduz ainda mais a complexidade das atividades de uma empresa.

De acordo com o relatório IDC Brazil ERP Tracker, entre 2010 e 2014, o mercado de ERP teve um crescimento anual médio de aproximadamente 11%. Esse número demonstra o quanto adotar um ERP passou a fazer parte do cotidiano de gestores em mercados diversos.

Portanto, neste texto você verá como é possível evitar erros na implantação de ERP, com o objetivo de obter sucesso para a sua empresa.

O que é um ERP?

O ERP é um sistema de gestão empresarial que deriva do nome Enterprise Resource Planning ou, ao pé da letra, Planejamento dos Recursos da Empresa.

Para ilustrar o que é um ERP, imagine que você tenha uma empresa com diversos sistemas que gerenciam departamentos e funções diferentes, como, por exemplo, para cuidar da folha de pagamentos, para controlar suas vendas, analisar metas e desempenhos e gerenciar impostos.

Não seria muito melhor contar com um sistema que unifique todos esses processos do que ter softwares isolados para cada uma das demandas? Pois é exatamente esse o objetivo da implementação de um ERP numa empresa.

Além disso, um ERP oferece um único sistema que integra departamentos de uma empresa, facilitando a comunicação interna e reduzindo custos. Com essa ferramenta:

  • O departamento financeiro pode identificar quanto direcionar ao pagamento de funcionários a partir das informações disponibilizadas pelo setor de RH;
  • Já o departamento de RH, por sua vez, pode avaliar o desempenho de um funcionário, junto a outro setor, para discutir um possível aumento;
  • Por último, o departamento de marketing pode traçar uma nova estratégia para divulgar um produto que não esteja girando, baseado nas informações da equipe de vendas.

Quais são os benefícios da implementação de um ERP?

Já citamos neste texto como a implementação de um ERP pode melhorar a comunicação entre os setores e reduzir custos de uma empresa. Mas seus benefícios não param por aí:

  • Planejamento: gestores dos departamentos podem ter maior controle sobre as informações, uma vez que o ERP unifica dados e processos, possibilitando prever cenários e melhorar suas decisões estratégicas;
  • Segurança: um sistema como esse dificulta o extravio de informações essenciais para as empresas, além de possíveis fraudes. Se o ERP estiver na nuvem (Cloud Computing), sua infraestrutura e manutenção ficam a cargo do fornecedor, trazendo ainda mais tranquilidade;
  • Competitividade: implementar um ERP permite reduzir custos e padronizar processos. Isso traz ganhos significativos na gestão de um negócio, além de possibilitar que a empresa invista ainda mais nas pessoas e na melhoria de produtos e serviços, aumentando seu poder competitivo em relação ao mercado.

Quais são os maiores erros na implantação de ERP?

Apesar de ser uma mudança que vai simplificar a gestão de uma empresa, implementar um ERP está longe de ser um processo fácil. Por isso, todos estão suscetíveis a erros.

Por isso, falaremos agora sobre os maiores erros na implantação de ERP para que você sinta mais segurança ao começar:

1. Não planejar com eficiência

Cuidado para não errar ao fazer a estimativa de tempo e recursos necessários para a sua implementação. Realize auditorias internas para entender o impacto dessa mudança nos departamentos.

Além disso, antes de iniciar, monte equipes de avaliação da solução, com os profissionais interessados no seu uso. Planejamento é tudo.

2. Não se preparar para a mudança

Parece bobagem, mas empresas costumam não se preparar para mudanças tão significativas. Portanto, realize treinamentos com as equipes impactadas e garanta que a comunicação interna sobre o assunto está fluindo.

Além disso, faça testes de conhecimento, antes de implementar um ERP.

3. Não entender os recursos-chave

Faça uma lista com todos os principais recursos do sistema. Depois disso, realize análises periódicas para identificar quais deles não estão sendo utilizados ou mal utilizados. Evitar esse erro reduz custos com atualizações, melhorias e treinamento de pessoal.

4. Não definir prioridades

Ninguém consegue ser produtivo com muitas tarefas pela frente. Implementar um ERP pode envolver vários departamentos e ser um processo complexo.

Por isso, é importante definir prioridades para entender quais questões devem ser resolvidas primeiro. Isso reduz custos e tempo de implementação.

5. Não realizar manutenções

Não basta investir para implementar um ERP. A evolução da tecnologia é cada vez mais rápida e realizar manutenções periódicas é extremamente importante para não tornar a ferramenta obsoleta.

Dessa forma, atualizações e ajustes vão melhorar ainda mais seus processos.

6. Não adotar a abordagem certa

Um erro comum é considerar que ele irá executar um negócio fim a fim. É importante entender que o principal objetivo de um sistema de ERP deve se concentrar em otimizar a cadeia de valor e rastrear os custos da empresa. O restante é uma abordagem secundária.

7. Não contar com o suporte

Você não pode se preocupar apenas com o momento em que for implementar um ERP. É preciso cuidar, também, do que acontece depois.

Além disso, quando os funcionários começam a  utilizar efetivamente a ferramenta, muitas dúvidas e problemas podem surgir. Por isso, invista, também, em suporte interno ou realizado por terceiros a fim de solucionar os problemas que ocorrerem após a implementação.

8. Não integrar a um RBM

Ao implementar um ERP, é possível integrá-lo com diversos departamentos e ferramentas. Um erro comum é não fazer o mesmo com um RBM (Relationship Business Management). É esse sistema que administra o relacionamento entre fornecedores de serviço e seus clientes (contratos recorrentes ou assinaturas).

Conheça mais sobre o tema aqui.

cobranca recorrente

Artigos

PCI Compliance: o que é e por que essa certificação é importante

Published

on

pci compliance

Seja numa compra avulsa ou recorrente pela internet, os cartões de crédito ocupam a posição de meio de pagamento mais utilizado. Mas muita gente desconhece que, para que as transações por cartão ocorram de maneira segura, existe uma série de regras que as empresas que processam pagamentos devem seguir, o chamado PCI Compliance (PCI-DSS).

Todos os provedores de sistemas que participam do processamento de dados de cartões durante uma transação comercial são obrigados a seguir os requisitos de segurança do PCI-DSS.

No post de hoje, você poderá entender o que é PCI Compliance e por que sua empresa precisa se preocupar com essa certificação na hora de contratar uma solução de pagamentos.

O que é PCI Compliance (PCI DSS)?

Em tempos de economia digital, empresas no mundo todo estão cada vez mais expostas do ponto de vista de segurança de dados na internet

Portanto, para ter a almejada segurança na venda online é preciso que as empresas responsáveis por processar os pagamentos e dados sensíveis de cartão sejam altamente seguras e certificadas. 

O PCI Compliance, ou “PCI DSS”, é uma das maiores certificações de segurança do mundo. A sigla traduzida para o português quer dizer: Padrão de Segurança de Dados para a Indústria de Cartões de Pagamento.

Nesse sentido, a certificação PCI DSS é a maneira mundialmente mais aceita de se assegurar essa confiabilidade. 

Ele foi criado pela indústria de cartões para gerar um conjunto de requisitos que visam a segurança de transações por cartão pela internet. Isso porque as principais regras mantêm o sistema protegido de invasores, protegem as informações dos titulares, monitoram e testam as redes constantemente, além de criarem uma rede segura para a condução das transações.

Quais são os níveis do PCI Compliance?

Existem 4 níveis de certificação PCI: 1, 2, 3 e 4.

A divisão entre os níveis de certificações é configurada conforme a quantidade de transações processadas pela empresa de pagamentos por ano.

Assim sendo, esses níveis determinam a quantidade de esforços que serão necessários para se adequar ao PCI DSS. O nível 1 é o mais rígido e seguro e voltado para empresas com mais de 6 milhões de transações por ano.

Por que minha empresa deve se preocupar com isso?

Se você recebe pagamentos através de cartões de crédito ou tem um gateway no meio do processo, saiba que ele precisa ter obrigatoriamente essa certificação. Então, no momento de decidir qual o provedor do meio de pagamento que sua empresa utilizará, o decisor precisa entender e se preocupar com isso por alguns motivos:

  • Responsabilidade legal: sua empresa deve se proteger contra o vazamento ou roubo de dados dos clientes por terceiros;
  • Confiança: eleger um provedor com a certificação PCI é ter a garantia de ter processos de segurança validados pela indústria de pagamentos;
  • Obrigatoriedade das normas: se você está usando uma solução sem a certificação, o risco de um problema é muito alto;
  • Prevenção a fraudes: o PCI gera menos preocupações com chargebacks decorrentes de fraudes com dados de cartão.

Em qual empresa de pagamentos devo confiar?

Conte com empresas que tenham esse certificado. A Vindi, por exemplo, cumpre rigorosamente os padrões dessa certificação e passa por auditorias periódicas a fim de manter a conformidade com a indústria de cartões. 

Ela possui PCI DSS Level 1, versão 3.2, certificado pela Trustwave. Este é o padrão de segurança mais alto da indústria de pagamentos e a versão 3.2 é a mais recente.

Por isso, vender através da Vindi é ter a certeza da segurança nas transações e a tranquilidade nos métodos de pagamento disponíveis no Brasil.

Para informações técnicas, acesse nosso link com o detalhe da certificação.

Continue Reading

Artigos

5 produtos para você começar a vender na recorrência!

Published

on

produtos de recorrencia

Hoje, no Brasil, existem mais de 4 mil clubes de assinaturas, que têm movimentado bilhões de reais a cada ano com produtos de recorrência.

A venda de produtos funciona de maneira diferenciada num clube de assinaturas. Isso porque o cliente se fideliza à marca a partir de uma assinatura.

Dessa forma, a partir daquele valor fixo pago mensalmente, ele recebe na comodidade de sua casa os produtos de determinado tipo selecionados para seu perfil.

O modelo da Economia da Recorrência cresce a cada dia, sendo bastante popular dentre as gerações que gostam de compras online e de receber elementos surpresa nessas caixas de produtos.

No post de hoje, vamos trazer alguns exemplos de produtos que são vendidos na recorrência e podem inspirar seu negócio!

1. Frutas e verduras

Essa modalidade ganhou força com o aumento da procura por alimentação saudável e orgânica. A proposta dessa assinatura é entregar ao consumidor vegetais frescos para o consumo, geralmente colhidos de pequenos produtores. 

A frequência pode ser diária ou semanal, de acordo com a demanda. Permitir que o consumidor escolha a frequência e possa pausar o recebimento quando necessário evita o desperdício, pois cada família tem uma velocidade de consumo diferente.

2. Bebidas

Da mesma forma que as hortaliças, as bebidas também podem ter alta rotatividade de consumo. Por isso, alguns serviços, sejam indústria de bebidas, supermercados ou curadores propõem a assinatura de uma entrega periódica de bebidas. Podem ser tanto assinaturas de bebidas específicas – como vinhos e cervejas -, quanto sucos, refrescos e outras bebidas.

3. Produtos caseiros

Aqui vale a criatividade e o que você sabe produzir bem. Valem geleias, doces, tortas, bolos, salgados. A ideia é definir um pequeno conjunto de quitutes caseiros para vender por assinatura. Dessa forma, seu cliente recebe em casa sempre itens fresquinhos para um café da tarde, para receber visitas ou para seu dia a dia. Uma entrega semanal ou quinzenal pode ser um bom plano.

4. Itens colecionáveis

Existe um enorme nicho relacionado a comunidades de fãs de determinados filmes, desenhos, histórias em quadrinhos e outros. Muitas dessas franquias geram itens colecionáveis, como camisetas, edições especiais, toys, canecas, etc. A maior oportunidade nessa categoria é gerar um bom serviço de curadoria para selecionar itens mais difíceis de serem encontrados e torná-los acessíveis no seu plano de assinaturas.

5. Produtos segmentados

Por fim, uma das maiores tendências para os clubes de assinaturas é olhar para o mercado de forma segmentada. Isso quer dizer que independentemente do tipo de produto, o importante é se especializar nesse mercado escolhido.

Por exemplo, hoje existem diversas assinaturas de cosméticos. Mas poucas delas são especializadas em segmentos específicos, como: produtos veganos, produtos para cabelos do tipo X ou Y, itens importados, e assim em diante.

Por isso, quanto mais disputado for um mercado, quem trouxer mais coisas diferentes tenderá a fidelizar mais seus clientes.

Como montar um clube de assinaturas?

Existem alguns passos básicos para você montar seu negócio de assinaturas do zero ou gerar uma frente de negócios desse modelo na sua empresa.

Neste e-book, ensinamos todo esse passo a passo para você aprender mais sobre como tirar suas ideias do papel. Baixe gratuitamente aqui:

banner 02 ebook estrategias clube assinaturas 2

 

E conte com a Vindi para ter a melhor plataforma de cobranças para produtos de recorrência!

Continue Reading

Artigos

23 clubes de assinatura que você precisa conhecer antes do Natal

Published

on

clubes de assinatura natal

Com a época das festas de Natal se aproximando, a busca por presentes para a ocasião se aproxima. Uma boa pedida pode ser presentear amigos e familiares – ou a si mesmo – com assinaturas de produtos, que podem durar por um período definido pelo assinante. Por isso, conhecer algumas opções de Clubes de Assinatura para o Natal pode ajudar nos preparativos de fim de ano.

Essas opções trazem a comodidade da entrega em casa, além de uma curadoria exclusiva de produtos diferentes do que se encontra no mercado. E, o melhor, costumam ter preços bastante atrativos!

Então, confira nossa seleção de Clubes de Assinaturas que podem ajudar a fazer a alegria do Natal nos comes e beber, além de presentes para todo tipo de público!

Bebidas

A época de fim de ano é marcada por diversos eventos, festas e celebrações. Nesse caso, seja você o anfitrião ou um convidado, pode ser bacana ter à disposição algumas opções da sua bebida favorita, sejam vinhos, cervejas ou drinks feitos em casa.

Para isso, alguns clubes de assinaturas de bebidas podem ser uma mão na roda para ter as melhores garrafas entregues em casa. Portanto, conheça alguns deles:

Vinhos

A Wine é um Clube de Assinaturas de vinhos, considerado o maior da categoria, mundialmente. O clube possui diversas opções de planos mensais, a partir de R$69 (promocional). Então, o assinante recebe até 2 rótulos, tamanho integral, de acordo com a categoria escolhida e o seu perfil informado, além de alguns brindes.

Além do Wine, você pode experimentar também outros Clubes de Vinhos, como:

clubes de assinaturas de vinhos

Foto: KamranAydinov/ Freepik

Cervejas

Para os fãs de cervejas artesanais, assinar o Clube do Malte é uma excelente opção para ter sempre cervejas diferentes para experimentar. Assim, com planos a partir de R$36 mensais, o clube envia uma box com 2 cervejas selecionadas, de cerca de 335ml, além de alguns brindes colecionáveis. O cliente pode dar algumas informações de quais tipos de cerveja gosta, para receber sua Beer Pack de acordo com isso.

Além dele, há também o Cerveja Box, clube de assinatura de cervejas nacionais e internacionais, com planos a partir de R$ 45. O assinante pode escolher receber cervejas surpresa (nos planos Cervejabox Explorador). Ou mesmo é possível pode definir uma categoria de sua preferência nos planos Cervejabox Estilos, como cervejas escuras, IPAs e outras.

Outra novidade é que Ambev lançou o clube Sempre em Casa, que traz um modelo de assinatura de bebidas diferenciado, totalmente customizável pelo consumidor. Você escolhe as bebidas e a quantidade que deseja receber, e paga proporcionalmente por elas. Entre as opções, estão todas as bebidas da Ambev, alcóolicas e não-alcóolicas. Depois, seleciona a frequência de entrega e forma de pagamento. Então, recebe na sua casa com frete sempre grátis e a primeira entrega em até 4 dias úteis. O site garante que você pode alterar, pular ou cancelar seu pedido quando quiser, sem taxas.

Veja também: 5 clubes de assinatura de cervejas que você precisa conhecer

Bons Drinks

O Drinks and Clubs tem uma proposta interativa com os usuários, além de vender bebidas. O cadastro é gratuito e a plataforma lança alguns desafios para os participantes realizarem, que geram pontos para serem trocados por benefícios, como descontos especiais nas compras de vodka, gin, cervejas e outras. Além disso, o site oferece alguns kits para você produzir sua bebida favorita com todos os ingredientes.

Já outra opção para receber box para preparo de drinks é a Drinks on the Rocks. Ele não é bem um clube de assinaturas. Nele, você escolhe qual drink quer fazer, paga um kit único e o recebe em casa. As garrafas são em tamanho integral e vêm todos os ingredientes adicionais, como frutas, especiarias e outros.

Para cozinhar com facilidade nas festas

Para quem está pensando em fazer pratos especiais no Natal e fim de ano, que tal cozinhar receitas criadas por chefs, e receber em caso o passo a passo e os ingredientes necessários para o prato? Essa é a proposta do Cheftime, que permite tanto a compra de kits avulsos quanto por assinatura.

Segundo o Cheftime, na opção de assinaturas, você pode escolher quantas receitas deseja receber por caixa e para quantas pessoas serão as porções. E os planos são semanais e totalmente flexíveis: você pode “pular” as semanas em que não quiser receber e pode cancelar a qualquer momento.

cheftime

Foto: Bublikhaus/ Freepik

Além dessa opção, você pode gostar também da Caixa Colonial, serviço de assinatura de kit com alimentos artesanais de diferentes regiões do país. Dessa forma, ele é ótimo para quem pensa em oferecer petiscos, como queijos premiados, geleias, salames, embutidos e outros. O valor da assinatura tem planos entre R$ 89 (promocional) e R$ 129.

Para presentear uma amiga

Que tal surpreender sua amiga com uma caixa cheia de produtinhos maravilhosos? Isso é possível com alguns clubes de assinaturas de beleza ou de acessórios. Conheça alguns:

Para presentear um amigo

Já para presentear os homens, existem assinaturas para cuidados com a barba, como o Home Shave, especializado em lâminas de barbear; ou o Men’s Market, especializado em box com produtos de autocuidado para o público masculino.

Presentes sem gênero

Alguns presentes também são neutros e podem agradar homens e mulheres de qualquer idade. 

Dessa forma, algumas boas pedidas são: a assinatura de cafés gourmet do ClubeCafé; presentes literários do clube Tag Livros e a box do Nerd ao Cubo para a galera geek.

nerd ao cubo 1465421548337 1280x720

Para presentear a criançada

Já quando o assunto é presentear os pequenos, algumas opções bacanas são o Box Kids Club, clube de assinatura de livros e materiais para desenvolvimento da criatividade; Leiturinha, grande clube de assinatura de livros infantis; e Petite Box, com produtos relacionados aos cuidados com bebês de até 2 anos.

Gostou das nossas dicas de Clubes de Assinatura para o Natal? Então assine a nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos!


Capa: Racool studio – www.freepik.com

Continue Reading

Conheça a Vindi

cobranca recorrente

cobrança reccorente

Trending