Connect with us

Faturamento Recorrente

Como o Spotify combate inadimplência? Aprenda com regras simples.

Published

on

Primeiro vamos fazer um disclosure aqui: sou muito fã do Spotify. Ele é um dos serviços mais eficientes e necessários do mundo. Não é à toa que o app está no celular de milhões de pessoas no mundo. E por se tratar de um negócio de assinatura (cobrança recorrente), decidi escrever esse post para mostrar que como uma automação bacana (e simples) combate de forma eficaz, o não pagamento do serviço.

Churn involuntário é aquele iceberg do Titanic

Esse é dos maiores problemas para negócios recorrentes e pode acreditar: é um monstro gigante. O churn é a métrica do cancelamento. Já o churn involuntário é aquele cancelamento onde por algum motivo, seu cliente (assinante) não conseguiu de alguma forma pagar o serviço. Em serviços de assinatura, que cobram através de cartão de crédito, o churn involuntário é comum e acontece quando o cliente troca o cartão, não tem saldo ou é alvo de fraudes (bem comum no Brasil). Clientes nessa situação, deveriam voltar para trocar o cartão no checkout do serviço ou receber um contato ativo da empresa para motivá-lo a trocar a forma de pagamento. Na maioria das vezes, o cliente é simplesmente cancelado pelo não pagamento.

É uma das métricas mais importantes para negócios recorrentes: planos, mensalidades e assinaturas.

Case Spotify

O Spotify resolve esse problema de uma forma muito simples e eficiente. Vou contar meu caso, usando o app, para ilustrar. Mas saiba que isso acontece com todo cliente pagante que teve algum problema com o cartão. Veja nos 3 passos.

1. Meu cartão (por algum motivo) não processou o pagamento. 

No dia 14/04 recebi o e-mail do Spotify dizendo do problema. Note que eles usam uma linguagem bem informal (o que é bom). No título do e-mail uma frase com a palavra “falha”, me alertava sobre a necessidade para abrir esse email.

Captura de Tela 2017-04-23 às 21.17.25

Na minha caixa de entrada, uma frase com “falha” no título.

No conteúdo do e-mail, uma mensagem clara e um botão irresistível para eu atualizar meus dados (leia-se mudar meu cartão de crédito). Veja abaixo.

Captura de Tela 2017-04-23 às 20.58.16

Não fiz a atualização no momento, pois confirmei que não havia problemas com meu cartão, mas entrei imediatamente no app para verificar se lá já tinha tido algum impacto. Apesar deles ainda não terem fechado meu acesso premium, já estava lá uma mensagem direta e agressivamente clara, que eu tinha um problema.

IMG_7099

Tarja vermelha no assinante!

2. Comunicação inteligente e de forma clara.

Dia 17/04, três dias após a falha na cobrança, o Spotify me enviou um novo e-mail avisando que iriam processar novamente meu pagamento naquele mesmo cartão. Mesmo assim, fui convidado novamente para atualizar meus dados. [Na prática, se eu tivesse ciência de algum problema com meu cartão, teria atualizado na hora].

Captura de Tela 2017-04-23 às 21.26.43

Título do email: “falha no pagamento…”

Captura de Tela 2017-04-23 às 21.26.36

Nova mensagem e um descritivo com os possíveis problemas.

3. Re-tentativa automática

Dia 19/04, num processo de re-tentativa automática, o processamento foi feito e fui cobrado pelo mesmo cartão que havia sido notificado. Nesse mesmo momento, recebi um e-mail informado minha renovação e estava lá meu acesso garantido novamente.

Captura de Tela 2017-04-23 às 21.25.29

Detalhe importante: minha conta é uma conta premium familiar, eu presenteei 5 pessoas com o acesso premium. Não foi surpresa para mim receber mensagens de pai, esposa e filhos me alertando que tinha acontecido algo. O Spotify é um dos grandes exemplos de como ser eficaz em casos de churn involuntário.

Valeu Spotify.

Simples, né? A Vindi possibilita isso tudo, de uma forma muito simples também. Quer saber como?

300x250

 

Continue Reading
2 Comments

Faturamento Recorrente

A revolução da recorrência

Published

on

revolucao recorrencia

A Recorrência é o modelo mais sustentável para empresas de software e de serviços, disso eu não tenho dúvidas. Por isso que o termo revolução da recorrência é tão difundido por produtores digitais pelo mundo.

A primeira vez que o termo “Subscription Revolution” foi escrito, não tínhamos nenhum sinal do que isso poderia representar para o mercado de software, música, cinema e entretenimento em geral. Não havia ainda, o advento do streaming que catapultou empresas como Netflix, tampouco existia a difusão do SaaS (que foi a verdadeira revolução do software) em todos lugares do mundo.

Hoje é possível assinar um trator (ou uma escavadeira), turbinas de avião, ovos e aprender a tocar guitarra através da recorrência. Mas nem sempre foi assim…

Revolução da Recorrência: antes da Salesforce e depois da Netflix!

Os grandes cases “recorrentes” globais são sem dúvida, a Salesforce e Netflix. A primeira, desmontou o mercado de serviços digitais no mundo. Software antigamente eram vendidos em caixinha, hoje são em cloud – via assinaturas. Mas não pense que isso foi algo muito simples de encaixar. A Salesforce, fundada em 1999 mudou a cena do software no mundo. Antes dela chegar no mercado americano, software era uma ativo exclusivo de grandes empresas. ERPs como SAP, Oracle, entre outros cases, eram muito direcionados a grandes empresas que gastavam milhões e milhões para implementar sistemas de gestão dentro de casa.

revolução da recorrência

Até tratores podem ser usados através de assinaturas. Foto: Caterpillar.

Quando a Salesforce nasceu, com uma proposta de entrega de serviço, não de implementação e licença vitalícia, o mercado ruiu. Nascia o momento do cloud computing (computação na nuvem) e empresas de todos os tamanhos e tipos, poderiam adquirir uma licença “as a service” para usar um software específico. Antes da própria Salesforce arrepiar o mercado, as grandes empresas de softwares torceram o nariz: “diziam que software como serviço (SaaS) não era uma realidade para todo mercado”.

Depois disso, a história mostrou que a Salesforce estava certa. Eles abriram o capital em 2004, adquiriram mais de 60 outras empresas e impulsionaram o nascimento de empresas como Slack, Zendesk, Mailchimp, Basecamp, Zoom, Twilio e as gigantes Adobe, SAP, Oracle, Microsoft, Google tiveram que aderir a receita recorrente dentro de casa, fazendo da recorrência, sua maior fonte de receita. As maiores empresas de tecnologia globais, fazem dinheiro com assinaturas.

Streamings, tags e games

A revolução da recorrência aconteceu primeiro no mercado adulto (porn). O próprio filme “O intermediário” conta que o mercado de filmes adulto mudou, com o advento da internet. E para ganhar dinheiro, o mercado de filmes adulto aderiu a recorrência (assinaturas) para distribuir filmes para a grande massa. Mas eles deram o pontapé inicial para a chegada dos colossos Netflix e Spotify. Se existem cases globais dentro da revolução da recorrência que merecem um destaque, são esses dois. Primeiro pelo pioneirismo em escalar para centenas de países, depois porque conseguiram mudar indústrias centenárias: de filmes e da música.

revolução da recorrência

Agora você aprende guitarra através de assinaturas. Foto: Fender Play

Não há mais poder concentrado dentro das grandes gravadoras, tampouco nos grandes estúdios de cinema. Atualmente, artistas no mundo todo explodem dentro de streamings. Não existem mais fronteiras. Eles (Netflix e Spotify) são tão bons cases para se exemplificar a revolução da recorrência, que ouço muitas vezes o termo: “é tipo Netflix né”. Fico feliz quando ouço.

Cobrar uma assinatura mensal por um serviço de preço justo, com alto valor percebido é o sonho da maioria das empresas de serviços digitais no mundo.

A recorrência promovida por essas empresas, revolucionou a indústria de software, educação, entretenimento, games (que é o caso emblemático da PSNetwork, Steam, Xbox e etc) e agora prepara uma grande revolução da recorrência no varejo. Grandes varejistas como Whirlpool, Pão de Açúcar (adquirindo o Cheftime), Magazine Luiza, Sem Parar (colosso das tags) e até grandes distribuidores de bebidas estão encontrando dentro de casa, uma forma de ganhar dinheiro através do modelo de assinaturas.

Antes do começar nosso evento oficial, o Recorrência, no ano passado, eu fiz uma provocação com a platéia, perguntando se eles sabiam quantos serviços recorrentes eles assinavam. A provocação era que a gente, como consumidor, está mais que habituada a consumir serviços através de assinaturas…

Se você paga seguro de carro, escola, condomínio, Netflix, Spofity, plano de saúde, telefone, estacionamento, ração….

A revolução da recorrência já faz parte das nossas vidas.

Quer saber mais sobre a Economia da Recorrência? Separei alguns links:

Continue Reading

Faturamento Recorrente

Cobrança recorrente para escolas, academias e empresas de serviço, de forma simples.

Published

on

cobranca recorrente escolas

A cobrança recorrente para escolas (de inglês, de ensino médio, de profissionalização e etc), academias e para todo tipo de empresas de serviços, era uma exclusividade de grandes corporações até meados de 2015. Quando começamos em 2013, poucas empresas tinham esse serviço que hoje, é bem democrático, do ponto de vista de tecnologia e investimento.

A cobrança recorrente para escolas, academias e todos tipos de empresas de serviços

De franquias de educação (de línguas e cursos profissionalizantes) até funerárias, a Vindi atende grandes, pequenas e médias empresas, com um foco específico: automatizar as cobranças e os recebimentos de boletos, cartões de crédito e débito em conta. Para acessar isso, não necessita de grandes investimentos, como a maioria dos empreendedores acha. É bem democrático.

A gente oferece nossas soluções através de diversos ERPs que existem no mercado, focados inclusive em nichos específicos. Explico melhor abaixo:

Desenvolvemos nossas principais APIs com foco nessa escolha do sistema de gestão. Na prática, você escolhe o software (a gente também pode te ajudar a escolher) e nós cuidamos dos recebimentos, do combate à inadimplência e do principal: do seu faturamento.

De quebra, podemos te ajudar em notas fiscais de serviços, de gestão e de controle do churn rate (índice de retenção). Independente do tipo do seu negócio e se ele fatura através de planos, mensalidades e assinaturas, a gente pode te ajudar. Cobrança recorrente democrática para academias, escolas e todo tipo de serviços.

Vem com a gente e junte-se à + de 5000 clientes.

cobranca recorrente

 

Continue Reading

Faturamento Recorrente

“Recorrência”, o evento do mercado de assinaturas ganha novo vídeo.

Published

on

subscription mafia

Tá no ar o evento Recorrência, produzido e realizado pela Vindi. E para o lançamento, a empresa ilustrou num vídeo bem legal, os nomes que já passaram pelas 7 edições do evento. O evento acontecerá no dia 23 de Outubro, em São Paulo. Entitulado de Subscription Mafia, o vídeo é um belo convite para empresas que querem mudar o rumo de seus negócios e remodelar a forma como vendem.

Recorrência, a economia que transformou empresas como Netflix, Slack, Smartfit

Baseado nos estudos que a Vindi fez, o evento promove o mercado de assinaturas (e com modelos recorrentes). Nomes como Netflix, Zendesk, Spotify entre outras empresas já passaram no palco do evento para contar os cases e desafios de se ter um negócio recorrente. O Recorrência é um dos melhores eventos de tecnologia do Brasil.

Sobre o evento

Data: 23 de Outubro de 2019

Local: Expo Center Norte

Site oficial: recorrencia.com.br/evento

 

Continue Reading

Avalie sua empresa

cobranca recorrente

Trending